Da estante para a vida: o mapa das histórias

Não precisamos sequer de um par de anos de vida para percebermos que uma boa história começa sempre no tempo e no lugar do “Era uma vez”. Depois, quando estudamos gramática e começamos a pensar um pouco mais nas palavras, percebemos que “Era uma vez” não existe. Porque se se passou uma só vez é porque “Foi uma vez”. Mas isso é só um detalhe se comparado com a curiosidade despertada por esta fórmula quase mágica que faz com que todos os acontecimentos, dali em diante, nos afastem de quem nos conta a história ou do livro que seguramos na mão, e nos levem para longe, longe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.