Miguel Torga

“Chuva.Bátegas de água que parecem cargas de cavalaria.Quem se arrisca

a pôr o pé fora da porta, atravessa a rua com a velocidade dos relâmpagos.

Do lado de dentro das casas, dos automóveis e dos eléctricos, a humanida-

de separa-se da natureza por vidraças …”

 

Se nunca leste nenhum poema ou livro de Miguel Torga, passa pela tua biblioteca e descobre este autor.

 

Boas leituras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *