Almeida Garrett

4 de fevereiro – Nascimento de Almeida Garrett

“Pai” do teatro português, alma do romantismo, poeta, romancista, escritor, é difícil descrever um autor tão completo.

Para saberes mais sobre o autor, descobre aqui a sua biografia ou passa pela tua biblioteca para descobrires a sua obra.


NÃO TE AMO Não te amo, quero-te: o amar vem d'alma. E eu n'alma --- tenho a calma, A calma --- do jazigo. Ai! não te amo, não. Não te amo, quero-te: o amor é vida. E a vida --- nem sentida A trago eu já comigo. Ai, não te amo, não! Ai! não te amo, não; e só te quero De um querer bruto e fero Que o sangue me devora, Não chega ao coração. Não te amo. És bela; e eu não te amo, ó bela. Quem ama a aziaga estrela Que lhe luz na má hora Da sua perdição? E quero-te, e não te amo, que é forçado, De mau feitiço azado Este indigno furor. Mas oh! não te amo, não. E infame sou, porque te quero; e tanto Que de mim tenho espanto, De ti medo e terror... Mas amar!... não te amo, não. Almeida Garrett

Descobre aqui o programa que a RTP lhe dedicou .


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *